Sobre o Núcleo


O Núcleo responde pela organização de ações institucionais que garantam a inclusão de pessoas com deficiência à vida acadêmica, bem como colaboradores e pessoas da comunidade que utilizam os espaços e serviços da instituição, eliminando barreiras arquitetônicas, pedagógicas, atitudinais e na comunicação e informação, promovendo o cumprimento dos requisitos legais de acessibilidade e inclusão e garantindo o acesso da pessoa com deficiência ao ensino superior.
Ligado à Pró Reitoria Acadêmica – PROACAD, o núcleo zela pelo princípio da equidade e publicidade, ou seja, preocupa-se com o tratamento igualitário de todos e cria esse espaço para tornar pública a sua missão, que é a de efetivação do Programa de Acessibilidade e Inclusão.


Serviço

Bloco B sala B 311
Horário de atendimento do Núcleo:
Segunda, quarta de 8h00 às 19h00
Terça e quinta de 8h00 às 22h00
Sexta-feira: 8h00 às 18:00

O Centro Universitário de Anápolis e suas mantidas têm hoje no quadro de discente 13.121 acadêmicos matriculados e destes, 66 (sessenta e seis) possui algum tipo de deficiência, o que representa 0,5% dos matriculados, sendo 40 (quarenta) com baixa visão, um com cegueira, 07 (sete) com deficiência auditiva, um com surdez, 12 (doze) com deficiência física, um com deficiência múltipla e um com transtorno do espectro autista.
O Censo Demográfico de 2010, do IBGE apontou que 45,6 milhões de pessoas declararam ter ao menos um tipo de deficiência, o que corresponde a 23,9% da população brasileira, desse contingente populacional, 61,1% não possuía nenhuma instrução ou possuíam nível fundamental incompleto, 17,7% possuíam ensino médio e apenas 6,7% possuíam ensino superior completo.


Equipe:

Coordenadora: Profa. Simei Silva P. de Lacerda
Especialista em Políticas Públicas - UEG
MBA em Gestão de Projetos - Anhanguera Educacional
Graduada em Ciências Sociais – UniEVANGÉLICA
Auxiliar Administrativo: John Kennedy

Programa de Atendimento Educacional Especializado - TEA


O Centro Universitário de Anápolis, através da Liga de Estudos em Condutas e Comportamentos Humanos do Curso de Psicologia, atendendo ao preceito legal da inclusão da pessoa com transtorno do espectro autista TEA, elaborou o Programa de Atendimento Educacional Especializado para Transtorno do Espectro Autista – PAEE-TEA. O programa visa não só garantir a lei, mas buscar formas de acolher o aluno em suas especificidades, criando condições para que ele permaneça até concluir, com sucesso, sua formação.

O Programa foi instituído pela Resolução CAS nº 09 de 09/06/2017.

Direitos da pessoa com Transtorno do Espectro Autista - TEA

A Lei. 12.764/2012, que cria a Política nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista, atende aos princípios da Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva (MEC/2008) e aos propósitos da Convenção dos Direitos das Pessoas Deficientes (ONU/2006) aprovada pelo Decreto Legislativo 186/2008 e o Decreto Presidencial 6.949/09, que lhe confere o caráter de Emenda Constitucional.
A lei 12.674/2012 estabelece como direitos da pessoa com TEA:
I - a vida digna, a integridade física e moral, o livre desenvolvimento da personalidade, a segurança e o lazer; 
II - a proteção contra qualquer forma de abuso e exploração; 
IV - o acesso: 
a) à educação e ao ensino profissionalizante;
c) ao mercado de trabalho;
d) à previdência social e à assistência social.

Conteúdo extra:

Legislação;

Órgãos de defesa

Curiosidades: